facebook instagram
Cuiabá, 17 de Junho de 2024
logo
17 de Junho de 2024

Eleitoral Segunda-feira, 27 de Maio de 2019, 14:58 - A | A

27 de Maio de 2019, 14h:58 - A | A

Eleitoral / CPF SOB RISCO

Quase metade do eleitorado de Cuiabá e VG está com título suspenso

O prazo para que o cidadão regularize a situação se encerra no início de maio de 2020, quando o cadastro nacional de eleitores é fechado para organização do pleito

Da Redação



Mais de 40% dos eleitores de Cuiabá e Várzea Grande estão com títulos cancelados. Os cidadãos que estiverem dentro dessa estatística devem regularizar a situação, senão podem ter o CPF suspenso.

Na Capital, dos 339.112 eleitores cadastrados, 144.341 estão com os títulos cancelados, o que perfaz um percentual de 43%.

Situação semelhante acontece no município de Várzea Grande, onde dos 144.367 eleitores cadastrados, 63.867 estão irregulares com a Justiça Eleitoral, atingindo um percentual de 44,2%.

“Essa situação precisa ser revertida para que nas eleições municipais de 2020 o resultado trazido pelas urnas reflita de fato a vontade da maioria dos eleitores que hoje residem nesses municípios”, destacou o presidente do TRE-MT, desembargador Gilberto Giraldelli.

O prazo para que o cidadão regularize a situação se encerra no início de maio de 2020, quando o cadastro nacional de eleitores é fechado para organização do pleito.

“São 208 mil eleitores com os títulos cancelados. Alertamos que não será possível atender essa demanda em poucos meses. Precisamos que o eleitor regularize a situação eleitoral agora, o quanto antes. Os postos de atendimento estão vazios. Estamos prontos para atender o cidadão com a devida brevidade e conforto. Não vamos ampliar nossa estrutura posteriormente”, frisou o diretor-geral do TRE-MT, Mauro Sergio Diogo.

Além de não poder votar, o eleitor com o título cancelado fica impedido de obter a certidão de quitação eleitoral. Esse documento é utilizado para o exercício de diversos direitos civis, entre eles: tirar ou renovar passaporte; tomar posse em cargo ou função pública; fazer ou renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo; e participar de licitações, bem como contratar com a administração pública. (Com informações da Assessoria do TRE-MT)