facebook instagram
Cuiabá, 18 de Julho de 2024
logo
18 de Julho de 2024

Administrativo Terça-feira, 15 de Dezembro de 2020, 16:07 - A | A

15 de Dezembro de 2020, 16h:07 - A | A

Administrativo / DURANTE PANDEMIA

Judiciário de MT registra mais de 18 milhões de atos processuais

Ao todo, foram 18.486.178 movimentações processuais, o que classifica o Poder Judiciário mato-grossense em 8º lugar no comparativo com os 27 Tribunais de Justiça estaduais, incluindo os de grande porte

Da Redação



Desde março, quando o teletrabalho se tornou regra para a maioria absoluta dos servidores e magistrados em decorrência da pandemia provocada pela Covid-19, o Poder Judiciário de Mato Grosso registrou mais de 18 milhões de atos que movimentaram os processos em trâmite na Justiça estadual.

Os dados estão dispostos no painel do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que semanalmente registra a produtividade do Poder Judiciário durante o regime de teletrabalho, instituído em razão da pandemia.

Ao todo, foram 18.486.178 movimentações processuais, o que classifica o Poder Judiciário mato-grossense em 8º lugar no comparativo com os 27 Tribunais de Justiça estaduais, incluindo os de grande porte.

Além disso, Mato Grosso também é destaque quando se fala em produtividade dos magistrados: são 355.344 sentenças e acórdãos proferidas nesse período. A instituição também registra, no período analisado, 454.902 decisões judiciais e 466.207 despachos.

Desde o início da pandemia, o CNJ divulga relatório semanal sobre a produtividade da Justiça, com objetivo de dar transparência às atividades dos Tribunais estaduais e federais. O relatório teve início em 16 de março e a última atualização ocorreu em 6 de dezembro.

Segundo o presidente do TJ, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, esses resultados comprovam que hoje o Judiciário consegue prestar seus serviços sem a necessidade de estar presente em seus prédios.

“Por meio de um computador, um celular ou um tablet, a população pode acionar a Justiça e ter seus direitos garantidos. Então, o prédio do fórum está deixando de ser a referência para a prestação dos serviços judiciais e estamos evoluindo para um serviço mais rápido e mais acessível, de qualquer lugar, a qualquer momento”, observou.

Além do regime de teletrabalho, o TJMT também implantou as sessões de julgamento por videoconferência, plenário virtual, digitalização e virtualização dos processos, concluiu a instalação do Processo Judicial Eletrônico em todas as comarcas, além da retirada em carga dos processos físicos mediante agendamento. (Com informações da Assessoria do TJMT)