facebook instagram
Cuiabá, 24 de Junho de 2024
logo
24 de Junho de 2024

Penal Quarta-feira, 07 de Agosto de 2019, 09:44 - A | A

07 de Agosto de 2019, 09h:44 - A | A

Penal / CASO LEOPOLDINO

STF suspende novo júri de empresário acusado de mandar matar juiz

Josino Pereira Guimarães chegou a ser absolvido pelo Tribunal do Júri, mas o Ministério Público Federal recorreu contra a decisão, quando um novo julgamento foi marcado

Lucielly Melo



O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu um novo júri do empresário Josino Pereira Guimarães, que é acusado de mandar matar o juiz Leopoldino Marques do Amaral.

Josino chegou a ser absolvido pelo Tribunal do Júri, mas o Ministério Público Federal recorreu contra a decisão, quando um novo julgamento foi marcado.

A defesa do empresário recorreu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), mas teve o pedido negado.

Insatisfeita, a defesa interpôs um Recurso Ordinário em Habeas Corpus (RHC), que foi admitido, liminarmente, pelo ministro Marco Aurélio.

O novo júri ficará suspenso até o julgamento do mérito do RHC.

“Defiro a liminar para suspender, até o julgamento do mérito deste recurso ordinário, o processo-crime nº 2000.36.00.005959-0, da Vara do Tribunal do Júri da Seção Judiciária de Mato Grosso/MT. Colham o parecer da Procuradoria-Geral da República”, diz trecho da decisão.

Morte de juiz

Os empresários e irmãos Clóvis e Josino Guimarães, além do delegado Márcio Fernando de Barros Pieroni, chegaram a ser presos pela morte do juiz federal Leopoldino.

Eles foram acusados de participar de uma farsa que tentava provar que o juiz estaria vivo e morando na Bolívia.

Leopoldino havia denunciado um esquema de venda de sentenças judiciais em Mato Grosso. O corpo dele foi encontrado parcialmente carbonizado no Paraguai, com dois tiros na cabeça em 1999.