facebook instagram
Cuiabá, 20 de Julho de 2024
logo
20 de Julho de 2024

Penal Segunda-feira, 09 de Novembro de 2020, 16:12 - A | A

09 de Novembro de 2020, 16h:12 - A | A

Penal / MORTE DE VERDUREIRO

Juiz manda Politec voltar ao local de acidente e confeccionar novo laudo

As informações serão relevantes para a conclusão de um novo laudo pericial sobre o acidente, que teria sido causado pela médica Letícia Bortolini, ré no processo penal

Lucielly Melo



O juiz Flávio Miraglia Fernandes, da 12ª Vara Criminal de Cuiabá, mandou a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) fazer um novo levantamento do local onde o verdureiro Francisco Lúcio Maia foi atropelado e morto.

As informações serão relevantes para a conclusão de um novo laudo pericial sobre o acidente, que teria sido causado pela médica Letícia Bortolini, ré no processo penal. Os fatos ocorreram em 2018, na Capital.

A nova perícia foi ordenada pelo magistrado em 2019, após ele identificar algumas irregularidades no laudo produzido anteriormente. Isso porque o delegado responsável pelo caso solicitou um laboratório particular a realização de uma perícia a parte, antes mesmo da conclusão dos trabalhos que foram conduzidos pela Politec.

Em setembro passado, Miraglia solicitou o exame pericial nas oito mídias que registraram o momento do atropelamento, para que sejam confirmadas as causas do acidente e se ele poderia ter sido evitado.

Agora, em despacho proferido no último dia 4, o juiz mandou a Politec retornar ao local do acidente para realizar o novo estudo.

“Tendo em vista o teor do ofício assinado pelo perito oficial criminal (...), para repelir a dúvida indagada a este Juízo, determino que se oficie ao referido perito consignando que o novo laudo pericial deverá ser realizado mediante um novo levantamento no local”, diz trecho do despacho.

O caso

O acidente que matou o verdureiro Francisco Lucio Maia ocorreu no dia 14 de abril de 2018, em Cuiabá.

A médica chegou a ser presa, mas ficou três dias encarcerada, quando o desembargador Orlando Perri, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, revogou a prisão.

Ao apresentar a denúncia, o Ministério Público acusou-a de conduzir o veículo alcoolizada e em velocidade incompatível com o limite permitido na Avenida Miguel Sutil, onde ocorreu o acidente, “assim como assumindo o risco de produzir o resultado, matou a vítima Francisco Lucio Maia”.

Ainda segundo o MP, a denunciada, após atropelar o verdureiro, deixou de prestar socorro imediato à vítima, bem como afastou-se do local do acidente para fugir à responsabilidade civil e penal.

“Segundo restou apurado, a denunciada Leticia Bortolini e seu esposo Aritony de Alencar Menezes, ambos médicos, na data dos fatos (sábado) estiveram no evento denominado Braseiro que, dentre outras características, operava no sistema open bar (consumo livre de bebida alcoólica), sendo que certamente permaneceram no local das 14 horas até aproximadamente 19h30. Mesmo tendo ingerido bebida alcoólica a denunciada assumiu a condução do veículo pertencente ao casal”, diz trecho da denúncia.

Na denúncia, o órgão ressaltou que assim que atropelou o verdureiro, a médica seguiu a condução do veículo, sob a influência de álcool, operando manobras em zigue-zague até a entrada do seu condomínio, no bairro Jardim Itália, conforme relato de testemunha.