facebook instagram
Cuiabá, 20 de Julho de 2024
logo
20 de Julho de 2024

Cível Quinta-feira, 30 de Abril de 2020, 15:48 - A | A

30 de Abril de 2020, 15h:48 - A | A

Cível / EM BARRA DO GARÇAS

Justiça manda fechar parque aquático em Mato Grosso

A Prefeitura Municipal de Barra do Garças deverá providenciar imediatamente o fechamento do parque, sob pena de multa diária no valor de R$ 20 mil

Da Redação



A Justiça Federal, em decisão liminar, determinou o fechamento do Parque Municipal das Águas Quentes, localizado no município de Barra do Garças, em decorrência da pandemia causada pelo novo coronavírus.

A Prefeitura de Barra do Garças, por meio do Decreto 4.324, havia liberado o funcionamento do parque.

A decisão atendeu o pedido do Ministério Público Federal, que explicou o decreto publicado, ao mesmo tempo que veda o acesso a estabelecimentos públicos e privados por pessoas que não estejam utilizando máscaras faciais, autoriza a abertura do parque aquático público, que é o maior ponto turístico da cidade e da região, no qual certamente ficará comprometida a utilização de máscaras durante os banhos.

“A decisão de abertura do parque aquático não foi dotada de embasamento técnico que indicasse as condições de segurança de contenção da disseminação do vírus no local”, frisou o MPF.

Nesse sentido, a Justiça Federal reafirmou que, embora tenha sido autorizada pelo Estado de Mato Grosso a abertura de parques públicos estaduais, a maioria é destinada à prática de trilhas, caminhadas e corridas, razão pela qual se admite o uso de máscara durante todo o período de permanência no local.

“O Parque Municipal das Águas Quentes porém, é um parque aquático, com várias piscinas públicas. É fácil deduzir que não é possível o uso de máscara durante todo o período de permanência no parque pelos banhistas”.

Dessa forma, a Prefeitura Municipal de Barra do Garças deverá providenciar imediatamente o fechamento do parque, sob pena de multa diária no valor de R$ 20 mil, no caso de descumprimento, por dia de abertura.

Por fim, o MPF esclarece que eventuais casos de contaminação em razão da abertura do Parque Municipal das Águas Quentes implicarão na responsabilização dos gestores por ato de improbidade administrativa, além das sanções penais cabíveis. (Com informações da Assessoria do MPF-MT)