facebook instagram
Cuiabá, 19 de Julho de 2024
logo
19 de Julho de 2024

Administrativo Segunda-feira, 28 de Setembro de 2020, 14:19 - A | A

28 de Setembro de 2020, 14h:19 - A | A

Administrativo / CUIABÁ E CÁCERES

Judiciário manda destruir mais de 130 armas usadas em crimes

As armas não possuem calibres de interesse da Secretaria Estadual de Segurança Pública por serem velhas ou avariadas, por isso, também não podem ser doadas

Da Redação



O Poder Judiciário de Mato Grosso entregou mais 131 armas de fogo para o Exército Brasileiro destruir. Todos esses artefatos foram utilizados em crimes previamente cometidos, como roubo ou assassinato, posteriormente sendo entregues à comarca como prova. Depois de sentenciar o processo, o magistrado determina a destruição.

Na quinta-feira (24), foram entregues 60 produtos de diversos calibres ao 44° Batalhão de Infantaria Motorizado do Exército Brasileiro, em Cuiabá, as quais estavam anexadas a processos que tramitaram nas comarcas de Várzea Grande e Nova Monte Verde.

No dia anterior (23), outras 71 armas e 60 munições foram entregues ao Comando de Fronteira 66° Batalhão de Infantaria Motorizado, em Cáceres. Todas estavam vinculadas aos processos da comarca de Rio Branco.

Anteriormente, também já foram entregues armas em batalhões de Rondonópolis e Araguarças (GO) – porque em Barra do Garças não tem batalhão do Exército Brasileiro. Todas as ações de destruição são acompanhadas pela Coordenadoria Militar do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), a qual é responsável por buscar as armas e munições na comarca que está descartando e entregar ao batalhão mais próximo.

De acordo com o tenente-coronel Murilo Franco de Miranda, lotado na Coordenadoria Militar, “o exército é o órgão legal para destruição de armas que precisam ser descartadas”. Ele explicou, ainda, que essas armas não possuem calibres de interesse da Secretaria Estadual de Segurança Pública por serem velhas ou avariadas, por isso, também não podem ser doadas.

Segurança nos fóruns

Além da entrega de armas, a Coordenadoria Militar também é responsável pela implantação de pórticos (portas detectoras de metal) nas 79 comarcas do Estado. A medida zela pela proteção de todos aqueles que frequentam as unidades judiciárias.

As implantações começaram em 14 de fevereiro de 2020, pelo TJMT e comarcas de entrância especial (Cuiabá, Rondonópolis, Várzea Grande e Sinop) os quais também receberam a instalação de aparelho de raio x. (Com informações da Assessoria do TJMT)