facebook instagram
Cuiabá, 16 de Junho de 2024
logo
16 de Junho de 2024

Administrativo Segunda-feira, 21 de Outubro de 2019, 15:00 - A | A

21 de Outubro de 2019, 15h:00 - A | A

Administrativo / “PAI PRESENTE”

Mutirão registra 32 reconhecimentos de paternidade em Cuiabá

No mutirão, os juízes também atenderam e fizeram encaminhamentos de setes casos de solicitação de reconhecimento de paternidade que dependem de outros fatores

Da Redação



O mutirão “Pai Presente”, organizado pelo Poder Judiciário junto Instituto Cuiabá de Ensino e Cultura (Icec) no último sábado (19), realizou 64 audiências, das quais foram registrados 32 reconhecimentos espontâneos de paternidade e 25 exames de DNA.

Nesses casos de teste genético, entre supostos pais e supostos filhos, o resultado deve sair entre 30 e 40 dias da data da coleta de sangue.

No mutirão, os juízes também atenderam e fizeram encaminhamentos de setes casos de solicitação de reconhecimento de paternidade que dependem de outros fatores. Em uma dessas audiências, a mãe da criança informou que o suposto pai e o suposto avô faleceram e, com isso, a investigação para constatar o vínculo biológico só pode ser feita com a suposta avó.

Wender Marcelo de Moraes, estudante do 8º semestre de Direito, foi um dos atendidos. Depois de 45 anos conseguiu realizar o desejo de ter o nome do pai no registro de nascimento. Na época, a mãe e o pai se separaram e, por conta de brigas, o reconhecimento não foi feito.

Já Danisclei Ferreira Almeida Júnior registrou espontaneamente os gêmeos univitelinos (idênticos) Davi Elias e Heitor Gabriel, de três meses.

Outro caso de reconhecimento de gêmeos também foi atendido em audiência. Só que o suposto pai, Walbert Patrick Medeiros Andrade, pediu comprovação genética. Ele contou que teve um relacionamento muito rápido com Ana Vitória Lerse Lima, mãe das meninas, que são idênticas e também com três meses de idade e agora quer comprovar.

O mutirão, coordenado pelo diretor do Fórum da Capital, juiz Luís Aparecido Bortolussi Júnior, contou com a atuação de outros cinco magistrados (Jorge Alexandre Martins Ferreira, Gilperes Fernandes da Silva, Luís Fernando Voto Kirche, Claudio Roberto Zeni Guimarães e Alex Nunes de Figueiredo), de servidores do Judiciário, da secretária-geral da Comissão Estadual Judiciária de Adoção (Ceja), Elaine Zorgetti Pereira, Defensoria Pública e Cartórios de Registro Civil. (Com informações da Assessoria do TJMT)